Gato e borboletas

Gato e borboletas

domingo, 2 de outubro de 2011

Esdrúxula


Adoro essa palavra
Aprendi-a com Pessoa
Num momento ridículo
Que não furto-me em viver
(...)
Apenas os sábios,
que eternizam a juventude
num sorriso de paixão,
deixam-se estampar
a sensação ridícula
do amor que chega.
Sem bater à porta,
de maneira esdrúxula
                              Virginia Rosa


"Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)"
                             Álvaro de Campos (Fernando Pessoa)


Nenhum comentário:

Postar um comentário