Gato e borboletas

Gato e borboletas

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Encontrei Wittgenstein num site de relacionamentos.

     É ... eu tenho um perfil num site de relacionamentos. Isso pode ser decepcionante para alguns.
     Mas minha rendição à internet (O revisor ortográfico sempre seleciona essa palavra, quer me obrigar a escrevê-la com maiúscula, isso não seria rendição e sim personificação, aí é demais pra mim.)  não seria completa se não tivesse feito isso ... rs
     Perdoem-me pelas divagações, são mais fortes que minha vontade em manter um texto fluente. Quem me conhece não se espanta. Falo de mil coisas ao mesmo tempo, me perco, ma acho, e eles continuam me amando ... rs (e rio muito também).
     Bem ... voltemos a Wittgenstein. De repente me deparo com um perfil onde a frase de chamada era uma citação dele - "Não só os obstáculos nos impedem de prosseguir: às vezes o caminho chegou ao fim." - adorei esse encontro.
     Há 14 anos, resolvi ler sobre filosofia e filósofos, e esse foi o meu primeiro, remetendo-me a Santo Agostinho. Outros se seguiram, mas eles sempre foram os queridinhos. Peraí! Há Sartre e Platão.
     Depois de ler todo o perfil, que foi escrito de maneira muito interessante e espirituosa, desliguei essa maquininha e peguei meu amarelado livro sobre Wittgenstein. A leitura, como sempre, prazerosa. Retomarei santo Agostinho e ... me deu saudades de Platão.
     Além desse reencontro proporcionado por tal perfil, ainda tive que recorrer ao dicionário, coisa que adoro e sempre faço. Não sabia o que era "esteta", agora sei, aquele que dá valor à estética. Adorei a palavra, talvez faça poesia com ela.
     Também tive que procurar "veraz". Que absurdo, nunca li ou ouvi essa palavra tão íntima de como sou. Significa pessoa verdadeira. Uso tanto a palavra veracidade... Agora não vou mais dizer que sou uma pessoa que adora falar a verdade, que é muito verdadeira. Direi: "Sou veraz", soa tão doce e, ao mesmo tempo, tão forte. Adorei! (Acho que é porque sou doce e forte ... rs)
     "Maionauta", essa não encontrei, se alguém aí souber, por favor, não se furte em me dizer.
     Já que meu príncipe não sai desse mundo virtual, ou de qualquer outro, vou aproveitando o que de bom desajeitada navegação possa me oferecer.
     Por enquanto sigo abraçada em Wittgenstein. Geralmente é como pego no sono, óculos pr'um lado, livro pro outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário